18/07/2016

Linda Dugeau, Dot Robinson e o Motor Maids, o primeiro Moto Clube

Motor Maids logo.gif
Boas Galera!

Vamos conhecer um pouquinho mais sobre a história dos Moto Clubes? Hoje, trouxe a vocês a história das fundadoras do primeiro Moto Clube que foi (segundo a AMA - American Motorcyclist Association Club) registrado com carta patente, o Moto Maids Inc.

Sabe-se que Moto clubes são grupos formados por indivíduos que têm uma paixão em comum: a motocicleta.

As pessoas têm a necessidade de se comunicar e interagir e acabam se reunindo em grupos, de acordo com suas afinidades. E assim, baseando-se em um estatuto, uma simbologia e também na amizade em comum, existem muitos e muitas motociclistas que fazem parte de moto clubes. 

Há algum tempo, quando a motocicleta foi inventada, alguns motociclistas passaram a rodar juntos, e acabaram criando nomes e uma identificação nas roupas para serem lembrados por onde passavam e, assim, começou o que daria origem aos clubes de motociclistas. Em uma época em que muitos tabus eram quebrados à duras penas, as mulheres não ficaram para trás e encararam com tudo o motociclismo.



Em 1939, Dot Robinson  e Linda Dugeau fundaram a organização de mulheres motociclistas, o Motor Maids Inc. Ele levou pouco mais de um ano para ser estabelecido e contar com 51 membros do sexo feminino. A organização foi fundamental para convencer as mulheres a iniciarem no motociclismo por elas mesmas. Acompanhando a ideia de Linda Dugeau, Dot procurou por todo o país mulheres que possuíam e andavam em suas próprias motocicletas. Dizia ela: você pode muito bem pilotar uma moto e ser uma dama! Dali em diante, a premissa básica do grupo composto só por mulheres é: pilotar suas próprias motos, sempre arrumadas e com classe, como senhoras de fino trato! O lema é a espinha dorsal da organização até hoje. 

Embora a ideia de Linda em formar um grupo somente de mulheres motociclistas levou dez anos até se tornar realidade, ela e Dot precisaram de três anos para encontrar mulher disposta a participar e partilhar deste sonho. Uma vez que a organização encontrou seu caminho, expandiu rapidamente, e as oportunidades para participar em desfiles e outros eventos cresceram também, porque elas mantinham uma imagem distinta. A organização Motor Maids se tornou muito popular em todo os Estados Unidos e sua presidente Dot Robinson e a então secretária Linda Dugeau estavam em êxtase com o movimento que elas acabavam de criar.

Umas da mulheres mais entusiasta e ativa do cenário motociclístico, uma das poucas a fazer do Hall da Fama do Motociclismo, e ícone do século passado, Dorothy Goulding, conhecida carinhosamente por Dot, nasceu no dia 22 de Abril de 1912 na Austrália,  e mudou-se para a América em 1918, quando seu pai, Jim Goulding, um fabricante de side-car's queria expandir os negócios da Goulding Sidecar. Em pouco tempo, se tornou um comerciante da Harley-Davidson em Saginaw, no estado do Michigan. Dot começou a trabalhar na concessionária aos 16 anos, onde conheceu seu futuro marido (e futuro-comerciante Harley-Davidson) Earl Robinson. Eles se casaram em 1931, comprou a franquia de seu pai e mudou-se para Detroit.


Com apenas 1,59 m de altura, Dot passou muitos fins de semana durante os anos 1930 competindo em corridas de resistência na região dos Grandes Lagos nos EUA. Sua primeira vitória foi em uma 100 milhas Endurance Run com uma pontuação perfeita. Ainda mais impressionante foi o seu segundo lugar conquistado na brutal de dois dias "Jack Pine" enduro em 1937. Menos da metade dos participantes concluíram o trajeto daquele ano. Robinson voltou a ganhar a Jack Pine em 1940. Ela competiu ao longo dos anos 1930, 40, e 50. Nunca houve uma vez que se viu Dot sem maquiagem. Longe de sua motocicleta, ela parecia estar pronta para estampar uma revista de moda.


Dot Robinson também atuou como co-proprietário da concessionária Detroit. Para acrescentar a suas responsabilidades, ela trabalhou como motoboy para uma empresa de defesa privada durante a Segunda Guerra Mundial. Ao lado da fundadora do Motor Maids, Linda Allen Dugeau, Dot liderou a expansão e crescimento do quadro social do clube, e foi eleita a primeira presidente, cargo que ocupou por mais de 25 anos.



Em seu tempo com as Motor Maids, Dot Robinson chegou a registrar até 50.000 milhas por ano para ajudar a aumentar a visibilidade do clube e do motociclismo em geral. Perto do fim de seus dias de piloto, ela estimou ter registrado mais de 1,5 milhões de milhas totais sobre duas rodas em sua vida! Pode-se dizer que poucas mulheres fizeram tanto para o motociclismo como Dot Robinson, mas de forma mais precisa, deve-se dizer que poucas pessoas fizeram tanto para o motociclismo como ela fez. Dot Robinson faleceu em Orlando, na Flórida, em 08 de outubro de 1999, aos 87 anos, com o apelido merecido de "The First Lady of motorcycling". 

Linda Dugeau nasceu em Cape Cod, Massachusetts, em 15 de maio de 1913. Aprendeu a pilotar com Bud, um amigo que viria a se tornar seu marido. Bud, que lhe ensinou a andar em uma motocicleta Harley Davidson aos 19 anos de idade, em 1932. As histórias sobre seus primeiros passeios sobre duas rodas vieram a aparecer nas páginas de revistas de motociclistas, mais ou menos junto com a ideia de criar o clube feminino. Nunca foi o centro das atenções, Linda ficou quase sempre em segundo plano, mas influenciou fortemente na seleção e organização de uma liderança forte, incluindo Dot Robinson e Vera Griffin.

Na década de 1950, Linda mudou-se para os arredores de Los Angeles, principalmente para que ela pudesse andar durante todo o ano e muitas vezes se hospedar no sul da Califórnia e que contava com passeios off-road nas montanhas e o então subdesenvolvido San Fernando Valley. Linda tinha uma reputação como um dos melhores pilotos do sexo feminino de off-road na década de 1950.

Linda era uma piloto de turismo ávida. Certo verão, ela fez uma viagem que cobriu mais de 5600 quilômetros (3.500 milhas) em duas semanas. Durante essa viagem, ela visitou a fábrica da Harley-Davidson, convidada por Bill Davidson, visitou sua mãe em Michigan e seguiu pilotando para a Feira Mundial de Nova York. Em outra viagem solo, ela percorreu as florestas do Canadá por estradas quase intransitáveis ​​e em áreas desabitadas. Linda Dugeau faleceu em 17 de fevereiro de 2000, apenas quatro meses após sua amiga Dot. Ela tinha 86 anos.


Graças a pioneiras como Linda e Dot, as fileiras de pilotos mulheres continuam a crescer. Atualmente, o Motor Maids possui aproximadamente 1.200 integrantes em todo os Estados Unidos e Canadá. 

Saia da garupa

Segundo um estudo da Global Kelton sob encomenda da Harley-Davidson, mulheres que pilotam são mais felizes. A pesquisa ouviu 1.013 mulheres adultas motociclistas e 1.016 mulheres adultas que não pilotam. De acordo com resultado, 37% das mulheres que andam de moto “se sentem sempre felizes” em relação às 16% que não andam. Ente as motociclistas, 27% também “se sentem sempre sexy” comparado às 7%, que não pilotam. Para a diretora da divisão Women’s Outreach da Harley-Davidson, Claudia Garber, “pilotar uma motocicleta é a forma definitiva de liberdade e expressão individual, então faz sentido que as mulheres que pilotam se sintam mais felizes na vida e, em geral, mais completas”. 






Espero ter ajudado!





Boas Estradas!




Fontes: http://www.motorcyclemuseum.org/halloffame/detail.aspx?RacerID=316

http://www.motorcyclemuseum.org/halloffame/detail.aspx?RacerID=78

https://en.wikipedia.org/wiki/Motor_Maids

http://www.historybyzim.com/2013/10/dot-robinson-first-lady-of-motorcycling/

http://blog.masada.com.br/motor-maids-motociclistas-pioneiras-dot-robinson-e-linda-dugeau/

http://motormaids.org/



Um comentário: